28 a 30

junho de 2021

Formato virtual

Programação

Completa

SOLENIDADE DE ABERTURA 50º CBG

27 de junho de 2021 (domingo), às 18h00

09h00 - 10h00
Sala 1

ST8: A Terra Primitiva: do Hadeano ao Neoarqueano

Palestra Temática: Habitalidade e vida na Terra primitiva: exemplos do Cráton de São Francisco

Dra. Alice Bosco-Santos

09h00 - 10h00
Sala 2

ST16: Sistemas Petrolíferos, Exploração e Produção de Hidrocarbonetos

Palestra Temática: A Importância da Área de Geociências de Reservatórios na Revitalização do Pós-Sal da Bacia de Campos e no Desenvolvimento do Pré-Sal da Bacia de Santos

Dr. Carlos Henrique Bruhn

09h00 - 10h00
Sala 3

ST1: Geociências para a Sociedade (Geodiversidade, Patrimônio Geológico, Geoconservação e Geoparques)

Palestra Temática: O papel do serviço geológico na geoconservação e no património geológico

Dra. Juana Vegas Salamanca

09h00 - 10h00
Sala 4

ST3: Risco Geológico, Geologia de Engenharia e Geotecnia

Palestra Temática: Algumas experiências com avaliação rápida de riscos em resposta a desastres no Brasil, América Latina e Caribe

Prof. Renato Eugênio de Lima

09h00 - 10h00
Atividades Extras*

Reuniões

10h00 - 11h00
Sala 1

ST8: A Terra Primitiva: do Hadeano ao Neoarqueano

Palestra Temática: A Transição Paleoarqueano-Mesoarqueano: Mudanças Globais Expressivas na Terra

Prof. Elson Paiva de Oliveira

10h00 - 11h00
Sala 2

ST16: Sistemas Petrolíferos, Exploração e Produção de Hidrocarbonetos

Palestra Temática: Sedimentologia e diagênese do sistema continental hidrotermal/alcalino/evaporítico da sequência pré-sal do Cretáceo Inferior da bacia de Santos

Dr. Rogério Schiffer de Souza

10h00 - 11h00
Sala 3

ST1: Geociências para a Sociedade (Geodiversidade, Patrimônio Geológico, Geoconservação e Geoparques)

Palestra Temática: Arouca Geoparque Mundial da UNESCO: a Geodiversidade e o Património Geológico ao serviço do desenvolvimento territorial

Dra. Daniela Rocha

10h00 - 11h00
Sala 4

ST3: Risco Geológico, Geologia de Engenharia e Geotecnia

Palestra Temática: "Imprevisto Geológico" em obras de engenharia

Dr. Luiz Alberto Minicucci

10h00 - 12h00
Sala 5

Mesa redonda

Projeto de Lei 191-2020: Mineração em Terras Indígenas

Organizadora

Ana Paula Justo

Observatório de Direitos Humanos em Geociências e Diretora Técnica da AGEN - Associação dos Geólogos e Engenheiros da CPRM

Moderador

Othon Leonardos

UnB

Palestrantes / Debatedores

Cisnea Menezes Basilio

SEDECTI (Secretaria de Estado de Desenvolvimento Econômico, Ciência, Tecnologia e Inovação – AM).

Manuela Carneiro da Cunha

Universidade de São Paulo (FFLCH/USP)

Suzi Maria de Cordova Huff Theodoro​

Febrageo e Coordenadora do Grupo de Estudos sobre Mineração em Terra Indígena

Miguel Antonio Cedraz Nery

Ex-Diretor Geral do DNPM, Gerente Executivo da ABPM e Consultor

Elmer Prata Salomão

Ex-presidente e conselheiro da Associação Brasileira de Empresas de Pesquisa Mineral – ABPM

Ailton Krenak

Universidade Federal de Juiz de Fora – MG

11h00 - 12h00
Sala 1

ST8: A Terra Primitiva: do Hadeano ao Neoarqueano

Palestra Temática: O Arqueano em 2.5 Ga no Brasil: Quo Vadis ? (Onde está? Aonde vai?)

Prof. Elton Luiz Dantas

11h00 - 12h00
Sala 2

ST16: Sistemas Petrolíferos, Exploração e Produção de Hidrocarbonetos

Palestra Temática: Brazil Beyond the Pre-Salt: Onshore Frontier Exploration and the R2W

Dr. Frederico Silveira de Miranda

11h00 - 12h00
Sala 3

ST1: Geociências para a Sociedade (Geodiversidade, Patrimônio Geológico, Geoconservação e Geoparques)

Palestra Temática: O papel da nova geração na popularização das geociências

Dra. Laila Milani Magalhães

11h00 - 12h00
Sala 4

ST3: Risco Geológico, Geologia de Engenharia e Geotecnia

Palestra Temática: a confirmar

12h00 - 13h00
Sala 2

ST16: Sistemas Petrolíferos, Exploração e Produção de Hidrocarbonetos

Palestra Temática: Digital Transformation na indústria de óleo e gás

Dra. Sylvia Maria Coutos dos Anjos

12h00 - 13h00
Sala 3

ST1: Geociências para a Sociedade (Patrimonio Petreo)

Palestra Temática: A geologia, na engenharia e na conservação do património cultural

Dr. José Delgado Rodrigues

12h00 - 14h00

Intervalo

14h00 - 15h00
Sala 1

Palestra Magna

Climate and Societies

Professor Gerald Haug

Max Planck Institut and ETH, Zurique

15h00 - 16h00
Sala 1

ST9: Evolução e Dinâmica do Paleo/Mesoproterozoico

Palestra Temática: Nature and Precambrian Evolution of the North China Craton and São Francisco Craton: A comparison

Prof. Peng Peng

15h00 - 16h00
Sala 2

ST12: O Paleozoico na América do Sul

Palestra Temática: Geologia e paleontologia em nano-escala no Brasil: as perspectivas da nova fonte de luz síncrotron Sirius

Dr. Douglas Galante

15h00 - 16h00
Sala 3

ST2: História e Difusão das Geociências

Palestra Temática: Como a Terra foi parar nas mãos da Ciência: a revolução científica das esferas terrestres no Renascimento

Prof. Rualdo Menegat

15h00 - 16h00
Sala 4

ST19: Geofísica

Palestra Temática: Geofísica Marinha: Avanços e perspectivas futuras

Profª. Helenice Vital 

15h00 - 16h00
Atividades Extras*

Reuniões

Reunião GEOÉTICA E COGEB

Reunião das Comissões sobre Geoética e sobre Geologia na Educação Básica da Sociedade Brasileira de Geologia. Como ponto de partida, ouvir as demandas dos associados e núcleos para as duas comissões e dar conhecimento das atividades realizadas e planejamento

16h00 - 17h00
Sala 1

ST9: Evolução e Dinâmica do Paleo/Mesoproterozoico

Palestra Temática: Processos em curso na Terra paleo/mesoproterozoica e seu registro no leste brasileiro e oeste africano

Prof. Fernando F. Alkmim

16h00 - 17h00
Sala 2

ST12: O Paleozoico na América do Sul

Palestra Temática: Tectônica e Sedimentação no Gondwana Sul-Ocidental

Prof. Edison José Milani

16h00 - 17h00
Sala 3

ST2: História e Difusão das Geociências

Palestra Temática: Escola de Estratigrafia de Alta Resolução da Petrobras: 22 anos de exitosa prática pedagógica em Geologia de Campo

Dr. Daniel Galvão Carnier Fragoso

16h00 - 17h00
Sala 4

ST19: Geofísica

Palestra Temática: Condutividade elétrica da Litosfera na Bacia do Parnaíba e na Província Borborema

Prof. Sérgio Luiz Fontes

16h00 - 18h00
Sala 5

Mesa redonda

Mulheres Inspiradoras nas Geociências: Desafios e Carreira

Moderadora

Adalene Moreira Silva

Palestrantes / Debatedoras

Márcia Abrahão Moura

Reitora da UnB

Joana Guimarães Luz

Reitora da Universidade Federal do Sul da Bahia (UFSB)

Lúcia Travassos da Rosa Costa

Serviço Geológico do Brasil

Sylvia Maria dos Anjos

ABGP ex-Petrobras

Gema Olivo

Queen´s University

Lila Costa Queiroz

ABMGEO (Associação Brasileira de Mulheres em Geociências)

Silvandira dos Santos Góes Pereira de Jesus

Omya do Brasil

17h00 - 18h00
Sala 1

ST9: Evolução e Dinâmica do Paleo/Mesoproterozoico

Palestra Temática: Evolução tectônica do embasamento Paleoproterozoico retrabalhado na Faixa Ribeira Central, sul do Cráton de São Francisco

Dr. Henrique Bruno

17h00 - 18h00
Sala 2

ST12: O Paleozoico na América do Sul

Palestra Temática: Floras paleozóicas emblemáticas da América do Sul: tafonomia e significado evolutivo

Profª. Fresia Ricardi-Branco

17h00 - 18h00
Sala 3

ST2: História e Difusão das Geociências

Palestra Temática: Os músculos do gigante”: um olhar sobre a trajetória brasileira do conhecimento em Geociências

Prof. Celso Dal Ré Carneiro

17h00 - 18h00
Sala 4

ST19: Geofísica

Palestra Temática: Monitoramento Geofísico de Barragens de Rejeito de Mineração (Microsísmica, Métodos Elétricos e Eletromagnéticos)

Prof. Marco Antonio Braga

18h00 - 19h00
Sala 1

Assembleia Geral SBG

Programação Preliminar sujeita a alterações.

Todas as palestras magnas e temáticas serão transmitidas ao vivo de acordo com a programação e terão sessão de perguntas e respostas com os palestrantes.

* Essas atividades serão realizadas em um link exclusivo. Para acessar, clique no menu “atividades extras” dentro da plataforma. 

Patrocínio – Cota Platina

Patrocínio – Cota Ouro

Patrocínio – Cota Cobre

Apoio Especial

Promoção

Realização

Organização

Translate »

Alice Bosco-Santos

UNICAMP

Alice Bosco-Santos é bióloga pela Universidade Federal Fluminense e mestre e doutora em Geologia pela Universidade Estadual de Campinas. Durante o pós-doutorado, a pesquisadora passou um ano no laboratório de Biogeoquímica de Isótopos estáveis na Indiana University – Purdue University Indianapolis nos Estados Unidos. Atua principalmente na área de geobiologia da Terra primitiva, estudando assinaturas metabólicas microbianas e condições da habitabilidade preservadas no registro geológico. Como principais ferramentas, utiliza isótopos de carbono, nitrogênio e enxofre, elementos terras raras e redox sensíveis para reconstruir condições paleoambientais Pré-cambrianas e identificar processos importantes da coevolução do planeta e da vida. Nos últimos anos utilizando-se de evidências multi-proxy a pesquisadora tem sugerido que sequências Neoarqueanas do Cráton de São Francisco registram informações chave para entender o Grande Evento de Oxigenação do ponto de vista global.

Carlos Henrique Bruhn

Petrobras

Carlos Bruhn é geólogo da Petrobras há 40 anos, onde desenvolveu várias atividades relacionadas à Exploração, Laboratório de Sedimentologia e Desenvolvimento da Produção. É Doutor em Geologia pela McMaster University do Canadá, e durante 17 anos foi gerente corporativo de Geologia de Reservatórios.

Juana Vegas Salamanca

Instituto Geológico e Mineiro da Espanha

Juana Vegas is a Ph-D in Geological Sciences with an Extraordinary Doctorate Award from the Complutense Univ. (Spain). Since 2005 she works at the Geological Survey of Spain (IGME), where currently is the Head of the Geoheritage and Mining Heritage Area. She is the General Secretary of the International Commission on Geoheritage at the IUGS (2020-2024). For the last 20 years, she is working in geoheritage inventories, geotourism and on geoconservation.

Renato Eugênio de Lima

UFPR

Geólogo formado na UFPR onde é Professor, com pós-graduação na UnB, UFPR e École de Mines de Paris. Diretor do Centro de Apoio Científico em Desastres-CENACID. Conferencista em CBGs, CBGEAs e CBMS. Consultor e integrante da equipe de Disaster Assessment and Coordination-ONU, participa do Comitê do International Consortiun on Landslides (ICL-UNESCO-ISDR) e coordena o Proj.242 do International Programme on Landslides (IPL). Conferências e artigos apresentados em 18 países, recebeu diversos prêmios inclusive o Green Star Award da ONU.

Elson Paiva de Oliveira

UNICAMP

Graduado em Geologia pela Universidade Federal do Rio de Janeiro, em 1972, PhD em Geologia pela University of Leicester, Inglaterra, em 1990. Professor Titular aposentado da UNICAMP e atualmente Professor Colaborador da UNICAMP. Editor Associado da revista Precambrian Research e revisor de várias revistas científicas internacionais. Publicou 108 artigos completos em revistas indexadas ou capítulos de livros. Desenvolve pesquisas em evolução crustal, mudanças tectônicas globais, petrogênese de rochas ígneas e metalogênese regional.

Rogério Schiffer de Souza

Consultor

Graduou-se em Geologia (1980) pela Universidade do Vale do Rio dos Sinos (Unisinos, São Leopoldo, RS); obteve o título Mestre em Geologia (1987) na Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ, Rio de Janeiro, RJ); obteve o título de PhD em Geologia do Petróleo (1999) pela The University of Texas (Austin, EUA). Ingressou na Petrobras em 1987 onde atuou na área de pesquisa e desenvolvimento nas áreas de exploração e produção concentrado nos temas de sedimentologia e petrologia de rochas da seção pré-sal, diagênese e predição de qualidade de rochas reservatório siliciclásticas e proveniências de arenitos.

Professor nas UFRRJ, PUC-RJ, Universidade Gama Filho e tem cerca de 250 documentos técnicos publicados, incluindo relatórios técnicos, abstracts de trabalhos apresentados em eventos científicos nacionais e internacionais, trabalhos em periódicos científicos e capítulos de livros. Orientou teses de mestrado e doutorado e participou de bancas examinadoras de mestrado, doutorado e de concurso para professores de universidades brasileiras.

Daniela Rocha

Arouca Geopark

Daniela Rocha nasceu, em Arouca, a 26 de abril de 1981. Realizou o ensino básico e secundário em Arouca e licenciou-se, em 2004, pela Universidade do Minho em Biologia e Geologia (ensino de). Lecionou disciplinas na sua área de formação, a alunos do ensino básico e secundário, em escolas públicas, entre 2004 e 2006. Foi Bolseira de Investigação Científica, no âmbito das atividades do Centro de Ciências da Terra da Universidade do Minho, com financiamento da Fundação para a Ciência e Tecnologia, entre 2005 e 2008.
Tirou mestrado em Geologia – área de Património Geológico e Geoconservação, tendo defendido a tese “Inventariação, caracterização e avaliação do Património Geológico do concelho de Arouca” em abril de 2008, também na Universidade do Minho. Desde janeiro de 2015 é doutorada em Ciências da Terra e da Vida, pela Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro. É formadora acreditada pelo Conselho Pedagógico da Formação Contínua, tendo já uma vasta experiência enquanto formadora na área dos Geoparques, Geoconservação, Geoeducação e Geoturismo, em diversos Centros de Formação como o da Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro, o da Associação Portuguesa de Geólogos, o da Ordem dos Biólogos ou o da Escola de Hotelaria e Turismo do Porto (Turismo de Portugal).
Foi membro da equipa científica responsável pela elaboração da candidatura do projeto Geoparque Arouca às Redes Europeia e Global de Geoparks, sob os auspícios da UNESCO (2006-2009). Desde junho de 2008, é Técnica Superior de Geologia da AGA – Associação Geoparque Arouca, entidade de gestão do território classificado Arouca Geoparque Mundial da UNESCO e responsável pelos Departamentos de Geoconservação e Geoeducação. Tem adquirido uma vasta experiência em variadas áreas do planeamento e desenvolvimento territorial, tendo por base o Património Geológico previamente inventariado (implementação de um sistema de gestão na área da geoconservação, criação dos programas educativos, dinamização de projetos educativos, organização e gestão da oferta geoturística, formação/capacitação, marketing territorial e promoção das geociências para a sociedade), bem como desenvolvido competências no âmbito da organização e gestão de eventos, como Conferências, Congressos, Workshops, Exposições, Concursos Escolares, entre outros.
É autora do guia “Rota dos Geossítios do Arouca Geopark” – um guia em papel que serve de apoio à visitação autónoma deste produto turístico, sinalizado e implementado no Arouca Geopark Mundial da UNESCO, desde setembro de 2016. É autora/coautora/coordenadora de mais de 100 trabalhos publicados, cujas temáticas principais são a valorização e divulgação da Geodiversidade, do Património Geológico, dos Geoparques, do Geoturismo, bem como a Educação para o Desenvolvimento Sustentável e a Conservação da Natureza/Geoconservação. Tem apresentado Comunicações sobre as referidas temáticas em Congressos, Conferências e Seminários nacionais e internacionais.

Luiz Alberto Minicucci

ABGE

Geólogo USP 1975

Geologia de Engenharia
Mecânica das Rochas.
Análise e avaliação de Riscos Geológicos.
Escavação em Rocha Subterrânea e Céu Aberto.
Vibrações Provocadas por Detonações.
Tratamentos: Taludes, Fundações e Túneis.
Reivindicações Técnico-Comerciais e Perícia Judicial.

Consultor de Geologia de Engenharia para investidores, projetistas, construtoras e mineradoras, em hidrelétricas, minas a céu aberto e subterrâneas e outras obras civis. Foi professor convidado da UFOP, curso de especialização de barragens, tema geologia de engenharia e escavação em rocha com uso de explosivos e em cursos de especialização de escavação de túneis. Atua na avaliação de riscos geológicos para projetos e construção, bem como, em câmaras arbitrais como perito sobre riscos geológicos previstos e imprevistos.

Ana Paula Justo

Observatório de Direitos Humanos em Geociências e Diretora Técnica da AGEN - Associação dos Geólogos e Engenheiros da CPRM

Geóloga (USP, 2003), Mestre em Geodinâmica (UFRN, 2006), Doutora em Geologia Regional (UnB, 2018) e Pesquisadora em Geociências do Serviço Geológico do Brasil (SGB/CPRM, desde 2009), onde atua com mapeamento geológico básico na Província Mineral de Carajás. Junto à sociedade civil organizada, promove a decoloniadade do poder, do saber e dos seres; práticas em agro(geo)ecologia, educação e geoconservação das áreas de recarga do Sistema Aquífero Guarani.

Othon Henry Leonardos

UnB

Geólogo pela UFRJ, M.A pela Univ.California (1966) e Ph.D pela Univ.Manchester (1972) na área de geologia é membro titular da Academia Brasileira de Cîências(ciências da Terra) e professor titular aposentado da UnB. Atualmente é professor emérito da UnB atuando no Centro de Desenvolvimento Sustentável da UnB onde exerce a função de coordenador do mestrado profissional em desenvolvimento sustentável junto a povos e terras indígenas. Leciona indigenismo e sustentabilidade e seminários sobre metodologias de pesquisa interdisciplinar, dialogando ciências humanas e ciências da Terra. É autor de duas centenas de publicações, com trabalhos fundamentais em geoquímica, metamorfismo, gênese de depósitos minerais, kimberlitos e rochagem para uma agricultura sustentável havendo orientado dezenas de teses, dissertações e monografias . Suas novas linhas de pesquisa são políticas públicas, cultura e sociedade e território, meio ambiente e sociedade.

Cisnea Menezes Basilio

(Nome tradicional: Wisú)

SEDECTI (Secretaria de Estado de Desenvolvimento Econômico, Ciência, Tecnologia e Inovação – AM).

Geóloga formada pela Universidade Federal do Amazonas – UFAM, Especialista em Auditoria e Perícia Ambiental, Mestranda em Geociências pela UFAM; Atualmente trabalha na Secretaria Executiva de Ciência Tecnologia e Inovação SECTI/SEDECTI, junto ao Núcleo de Desenvolvimento e Integração da Faixa de Fronteira do Estado do Amazonas – NIFFAM.

Manuela Carneiro da Cunha ​

Universidade de São Paulo (FFLCH/USP)

Antropóloga, doutora em Ciências Sociais pela Universidade Estadual de Campinas (1976) e graduada em matemática pela Faculté des Sciences de Paris (1967). Fez pós-doutorado na Universidade de Cambridge. Foi professora doutora da Universidade Estadual de Campinas e professora titular da Universidade de São Paulo, onde, após a aposentadoria, continua ativa. Foi full professor da Universidade de Chicago de 1994 a 2009, onde é professora emérita. Foi professora visitante na Ecole des Hautes Etudes en Sciences Sociales, na Universidade Pablo de Olavide, na Universidade de Chicago (antes de ser contratada); no PPGAS do Museu Nacional (UFRJ). Foi titular da cátedra “savoirs contre pauvretés” no Collège de France em 2011-2012. É membro da Academia Brasileira de Ciências, e da Academia de Ciências do terceiro mundo; é membro do Observatório dos Direitos Humanos no Poder Judiciário no Conselho Nacional de Justiça (CNJ) desde 2020; foi presidente da Associação Brasileira de Antropologia (1986-88) e representante da comunidade cientifica no CD (conselho deliberative) do CNPq, onde foi bolsista na categoria A1. Atuou como juri dos Programas do Milênio (2001), e fez parte do International Advisory Group (IAG) do Pilot Program to Conserve the Brazilian Rain Forest (PPG-7). Foi indicada em 2014 pelo Governo Brasileiro para compor a Força Tarefa da IPBES (Plataforma Inter-governamental da Biodiversidade e Serviços Ecossistêmicos). É membro da (ILK Work Force) Força Tarefa de Conhecimentos de Povos Indígenas e Comunidades Locais da IPBES (2014-2019) e Overall Review Editor do Global Assessment dessa plataforma (2017-2019). Colabora também na Plataforma Brasileira da Biodiversidade e é membro, desde 2018, do Conselho Consultivo do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN). Recebeu várias distinções, entre as quais a Ordem do Mérito Cientifico na Classe Grã Cruz, a Légion d´honneur da França, a medalha Roquette-Pinto da Associação Brasileira de Antropologia e a medalha da Francofonia da Academia Francesa. Em 2018 recebeu o Prêmio de Excelência Gilberto Velho para Antropologia conferido pela ANPOCS. Publicou 12 livros, 38 artigos em Periódicos especializados e 32 capítulos em livros, e organizou quatro livros. Seus livros receberam prêmios da ANPOCS, Jabuti e da Biblioteca Nacional. Sua atuação distribui-se pela etnologia, história e direitos dos índios, escravidão negra, etnicidade, conhecimentos tradicionais e teoria antropológica. Entre suas publicações constam os livros “Cultura com aspas”; “Negros, estrangeiros” e “Os mortos e os outros” ; organizou entre outras obras “História dos índios no Brasil” e “Enciclopédia da floresta”. Na Universidade de São Paulo, fundou em 1986 o Núcleo de História Indígena e do Indigenismo e dirigiu um projeto temático sobre História I’ndígena. Foi PI (Principal Investigator) de um projeto colaborativo financiado pela Fundação MacArthur (1992-1995) sobre conhecimentos tradicionais no alto rio Jurua, Acre; PI de projeto no CEBRAP financiado pela Fundação Ford sobre Políticas Culturais Indígenas (2009-2014); recebeu encomenda do Ministério de Ciência Tecnologia e Inovação (2014-2017) para estabelecer bases de um programa sobre conhecimento indígena, e, recentemente, para construir diagnóstico sobre as contribuições dos povos indígenas e comunidades locais no Brasil para a geração, manutenção ou conservação da biodiversidade e a recuperação de solos e outros serviços ecossistêmicos. Formou mais de 30 mestres e doutores em sua atuação na Unicamp, na USP e na Universidade de Chicago. Faz parte de numerosos conselhos editoriais de revistas científicas.”

Suzi Huff Theodoro

Febrageo e Coordenadora do Grupo de Estudos sobre Mineração em Terra Indígena

Geóloga, mestre em Geologia Econômica, Doutora em Desenvolvimento Sustentável e Pós doutorado em Conflitos socioambientais. Professora do Programa de Pós Graduação em Meio Ambiente e Desenvolvimento Rural (Universidade de Brasília). Representante da Febrageo e Coordenadora do Grupo de Estudos sobre Mineração em Terra Indígena organizado pela entidade. Principais temas de pesquisa: Remineralizadores de Solo, Agrogeologia, Mineração em Terras Indígenas e Feminismo.

Miguel Antonio Cedraz Nery, DSc

Ex-Diretor Geral do DNPM, Gerente Executivo da ABPM e Consultor

Engenheiro de Minas (UFBA, 1983), Doutor Geociências (Unicamp, 1999) e Mestre em Administração e Política de Recursos Minerais (Unicamp, 1995). Tem 36 anos de atuação profissional, trabalhou no DNPM/ANM, foi Professor do IG/UFBA, Diretor Geral do DNPM e Diretor Executivo da ABDI. Atualmente, é Gerente Executivo da ABPM, Diretor da CBRR, PQR de Regulação da Mineração no Brasil, e Consultor.

Elmer Prata Salomão

Ex-presidente e conselheiro da Associação Brasileira de Empresas de Pesquisa Mineral – ABPM

Graduado em geologia pela Escola de Minas de Ouro Preto.
Professor do curso de Geologia da Universidade de Brasília -UnB ensinando as disciplinas Geologia Estrutural, Estratigrafia, Geologia Histórica, Planejamento Geológico e Prospecção, além de orientar trabalhos de campo.
Em 1974 fundou a GEOS – Projetos de Mineração LTDA, empresa de consultoria ainda ativa. Como Diretor executivo desta organização teve oportunidade de coordenar pessoalmente dezenas de projetos para empresas nacionais e estrangeiras em todo o território brasileiro. Cerca de 50 companhias mineradoras contaram com seus serviços de consultoria técnica e legal.
Superintendente da Mineração Taboca S/A, do Grupo Paranapanema, a maior produtora mundial de estanho à época.
Diretor geral do DNPM – Departamento Nacional de Produção Mineral
Fundador e diretor da Verena Minerals Corporation (Atual Belo Sun Corp), Junior Company listada na bolsa canadense com ativos minerais no Brasil através da subsidiária nacional Verena Mineração Ltda.
Presidente do Conselho da Mineração Terras Raras S/A
Cumpriu missões oficiais e de negócios em diversos países, entre os quais Estados Unidos, Canadá, França, Suíça, Venezuela, Equador, Bolívia, Japão, China e Tailândia.
Paralelamente às atividades profissionais, exerceu inúmeros cargos de representação do setor mineral, entre outros: presidente da Sociedade Brasileira de Geologia, fundador e diretor da Coordenação Nacional dos Geólogos (atual FEBRAGEO), fundador e presidente da Associação Brasileira de Empresas de Pesquisa Mineral – ABPM, Ex-Membro do Conselho de Administração da CPRM (1990-1996 e 2017-2019). Atualmente, é membro do Conselho Curador da Fundação Gorceix (Escola de Minas de Ouro Preto) e ex-presidente e conselheiro da Associação Brasileira de Empresas de Pesquisa Mineral – ABPM.

Ailton Krenak

Universidade Federal de Juiz de Fora – MG

Ativista indígena da etnia Krenak, fundou em 1988 a União das Nações Indígenas, e, em 1989, o movimento Aliança dos Povos da Floresta. Atualmente, dirige o Núcleo de Cultura Indígena, na Serra do Cipó, MG. Em 2016, recebeu o título de Professor Doutor Honoris Causa da Universidade Federal de Juiz de Fora, onde leciona, na especialização, as disciplinas “Cultura e História dos Povos Indígenas” e “Artes e Ofícios dos Saberes Tradicionais”. Roteirista e apresentador as séries de TV- ÍNDIOS NO BRASIL- 1998/99-MEC- Video nas Aldeias; série TARU ANDÉ- O ENCONTRO DO CÉU COM A TERRA- CANAL FUTURA- 2007. Apresentador da série FRONTEIRAS FLUÍDAS – NOCTUA-ANCINE 2018. É Jornalista e escritor, com livros e artigos publicados em diversas línguas, além do português.

Elton Luiz Dantas

UnB

Pesquisador 1A do CNPQ, possui curso-técnico-profissionalizante em Geologia pelo Centro Federal de Tecnologia do Rio Grande do Norte, (1980), graduação em Geologia pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) (1987), mestrado e doutorado em Geologia Regional pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (UNESP) em (1992) e (1997), respectivamente Professor da Universidade de Brasília desde 2000, atuando principalmente nos seguintes temas: Geocronologia e Geoquímica isotópica do Pré-Cambriano. Evolução Crustal e Tectônica da Plataforma Sul Americana.

Frederico Silveira de Miranda

Eneva

Diretor de Exploração na Eneva e também professor do Programa de Pós-Graduação em Gestão no Setor de Óleo e Gás da FGV, é Mestre em Sistemas Petrolíferos Não-Convencionais pela UFRJ em parceria com a Colorado School of Mines, com especialização em Análise de Bacias pela UERJ e especialista em Petrofísica pela Universidade Corporativa Petrobras, geólogo formado na Universidade de Brasília. Nos seus 15 anos de carreira trabalhou intensamente nas bacias do Parnaíba, Amazonas e Solimões.

Laila Milani Magalhães

Universidade Federal da Bahia

Laila Milani Magalhães é Geóloga e Comunicóloga/Produtora Cultural, ambos pela Universidade Federal da Bahia (UFBA). Desde 2019, vem se especializando na área divulgação científica e geocomunicação, por meio da realização de cursos e participação em eventos, como o CAMP Serrapilheira 2019. Atualmente trabalha de forma autônoma na GEOPRO, uma produtora audiovisual que desenvolve projetos de divulgação das geociências, dentre outros serviços de geocomunicação.

Sylvia M. C Anjos, PhD

ABGP ex-Petrobras

Sylvia Anjos formou-se em Geologia pela UFRJ em 1978. Em 1979, começou sua carreira como geóloga de campo na PETROBRAS. Obteve seu mestrado pela Universidade de Illinois em 1984 e seu doutorado em 1987.
Coordenou projetos de P&D e laboratórios de XRD, SEM e petrologia do CENPES. Em 1999 foi gerente de Sedimentologia e Petrossísmica, Tecnologia de Rochas e da Bioestratigrafia do CENPES.
Em 2005, gerente de Modelagem de Sistemas Petrolíferos da Exploração da Petrobras. Em 2006, assumiu e implantou a Gerência Geral de Geologia aplicada à Exploração. Em 2016 Gerente Geral adjunta da área de Geologia e de Tecnologias Aplicadas e Transformação Digital do E&P- Libra. Em 2020/21 atuou na Transformação Digital do Gás &Energia. Foi presidente da ABGP por 2 termos, Vice- presidente da AAPG-America Latina. Em 2018, foi membro fundadora do Comitê de diversidade do Instituto Brasileiro do Petróleo.

José Delgado Rodrigues

LNEC - Laboratório Nacional de Engenharia Civil

José Delgado Rodrigues received his degree in Geology in Coimbra University, Portugal, and the “Especialista” degree (PhD equivalent) in the National Laboratory of Civil Engineering (Lisbon, Portugal) where he also became Principal Research Officer, Head of the Geotechnique Department, and President of the Scientific Council. He has been working on the field of Conservation Science in which he has researched and taught in the last 40 years.
He participated in some relevant conservation interventions v.g. the Tower of Belém, Jerónimos Monastery, in Lisbon, Santa Cruz Church and Porta Especiosa in Coimbra, Cathedrals of Évora and Oporto, the Côa Valley rock art site, and the Segovia Aqueduct.
He taught graduate courses in the New University of Lisbon and in the post-graduate course in Évora University. He acted as invited professor in short courses and as invited lecturer in several universities and institutes around the world. He has supervised more than a dozen of PhD and MSc theses, and was the LNEC leading scientist in more than a dozen of international research projects. He published over 200 papers in congresses and international journals. He is currently reviewing papers for several international journals. He was Research Scholar at the Getty Conservation Institute to deepen knowledge in deterioration and conservation of granitic materials and to structure a publication in this same subject. He is Fellow of ISRM-International Society of Rock Mechanics and Rock Engineering. ORCID: 000 0002 5180 6130.

Gerald Haug

Max Planck Institut and ETH, Zurique

  • Born on April 14, 1968 in Karlsruhe, Germany.
  • Diploma in Geology at the University of Karlsruhe (1992).
  • PhD in Geosciences at the University of Kiel (1995).
  • Postdoctoral Research Associate at GEOMAR, Center for Marine Geosciences, Kiel, Germany (1995-1996).
  • Postdoctoral Research Associate in the Department of Oceanography at the University of British Columbia (UBC) in Vancouver, Canada (1996-1997).
  • Postdoctoral Guest Investigator at the Woods Hole Oceanographic Institution in Massachusetts, USA (1997-1998).
  • Research Assistant Professor at the University of Southern California in Los Angeles, USA (1997-1998), ‘Oberassistent’ at the ETH Zürich, Switzerland (2000-2002).
  • Habilitation in Earth Sciences at the ETH Zürich (2002).
  • Professor at the German Research Centre for Geosciences (GFZ) in Potsdam and the University of Potsdam, Germany (2003-2007).
  • Ordinary Professor for ‚Climate Geology’ at the ETH Zürich (2007-2015).
  • Director of the ‘Climate Geochemistry’ Department and Scientific Member at the Max-Planck-Institute for Chemistry in Mainz since 2015.
  • President of the National Academy of Science Leopoldina since 2020.

Peng Peng

Institute of Geology and Geophysics, Chinese Academy of Sciences

Professor of Petrology and Precambrian geology

Institute of Geology and Geophysics, Chinese Academy of Sciences

Director of China-Brazil Joint Geoscience Research Center, IGGCAS

Professor of the University of Chinese Academy of Sciences

19 Beitucheng Xilu Street, Beijing, China 100029

E-mail: pengpengwj@mail.iggcas.ac.cn; pengpengwj@hotmail.com

http://sourcedb.igg.cas.cn/en/zjrck/200907/t20090713_2065446.html

https://publons.com/researcher/2809054/peng-peng/

 

 

1) Education

Bachelor’s degree on structure geology (Department of Geology, Peking University, 1996.7-2000.7)

PhD on petrology (University of Chinese Academy of Sciences, 2000.7-2005.6)

2) Professional History

2005.6-2008.1 Post-doc, Institute of Geology and Geophysics, Chinese Academy of Sciences (IGGCAS)

2008.1-2012.12, Associate Professor, IGGCAS

2012.12-present, Full Professor, IGGCAS

2015.7-present, Professor, University of Chinese Academy of Sciences (UCAS)

2017.10-present, Member of the Administration Committee, IGGCAS

2020.6-present, Director of China-Brazil Joint Geoscience Research Center, IGGCAS

2009.3-2009.8, visiting scientist to the Geological Survey of Canada (Ottawa)

2013.8-2014.2, visiting professor to the University of Western Australia (Perth)

3) Editorial board

Associate Editor of Island Arc

Editor of Precambrian Research, Analysis and Testing Technology and Instruments and Geotectonica et Metallogenia

4) 10 selected publications

Peng P*, Qin ZY, Sun FB, Zhou XT, Guo JH, Zhai MG, Ernst RE, 2019. Nature of charnockite and Closepet granite in the Dharwar Craton: Implications for the architecture of the Archean crust. Precambrian Research 334: 105478.

Peng P*, Yang SY, Su XD, Wang XP, Zhang J, Wang C, 2017. Petrogenesis of the 2090 Ma Zanhuang ring and sill complexes in North China: A bimodal magmatism related to intra-continental process. Precambrian Research 303: 153-170.

Teixeira W*, Oliveira EP, Peng P, Dantas EL, Hollanda MHBM, 2017. U-Pb geochronology of the 2.0 Ga Itapecerica graphite-rich supracrustal succession in the São Francisco Craton: Tectonic matches with the North China Craton and paleogeographic inferences. Precambrian Research 293: 91-111.

Peng P*, Wang C, Wang X, Yang S. 2015. Qingyuan high-grade granite–greenstone terrain in the Eastern North China Craton: Root of a Neoarchaean arc. Tectonophsics, 662: 7-21.

Peng P*, Wang X, Windley BF, Guo J, Zhai M, Li Y. 2014. Spatial distribution of ~ 1950–1800 Ma metamorphic events in the North China Craton: Implications for tectonic subdivision of the craton. Lithos 202-203: 250-266.

Peng P*, Bleeker W, Ernst RE, Söderlund U, McNicoll V, 2011. U-Pb baddeleyite ages, distribution and geochemistry of 925 Ma mafic dykes and 900 Ma sills in the North China craton: Evidence for a Neoproterozoic mantle plume. Lithos 127: 210-221.

Peng P*, Guo J.-H., Zhai M.-G., Bleeker W., 2010. Paleoproterozoic gabbronoritic and granitic magmatism in the northern margin of the North China craton: Evidence of crust-mantle interaction. Precambrian Research 183, 635-659.

Peng  P*, Zhai, M.-G., Ernst, R. Guo, J.-H., Liu, F. Hu, B., 2008. A 1.78 Ga large igneous province in the North China craton: The Xiong’er Volcanic Province and the North China dyke swarm. Lithos 101(3-4): 260-280.

Peng P*, Zhai MG, Zhang HF, Guo JH, 2005, Geochronological constraints on the  Paleoproterozoic evolution of the North China Craton: SHRIMP zircon ages of different types of mafic dikes. International Geology Review, 47(5): pp. 492-508.

Peng P*, 2016. Map of Precambrian Dyke Swarms and Related Plutonic/Volcanic Units in the North China Block (1:2500 000). Beijing: Science Press: 1–90.

5) Awards

The Shen-su Sun Award (The Shen-su Sun Foundation, 2014)

The State Natural Science Award (Second class, 2013)

Silver Hammer Award (Geological Society of China, 2010)

Dr. Douglas Galante

(Brazilian Synchrotron Light Laboratory - LNLS/CNPEM)

Douglas é pesquisador do Laboratório Nacional de Luz Síncrotron, coordenando o Grupo Carnaúba, uma das mais avançadas estações de pesquisa do novo acelerador Sirius. É também pesquisador associado do Núcleo de Pesquisa em Astrobiologia da Universidade de São Paulo, liderando essa nova área de pesquisa no país. Graduado Ciências Moleculares e doutor em Astronomia pela USP, Douglas foi um dos pesquisadores pioneiros no país na área de Astrobiologia, tendo defendido uma das primeiras teses neste tema. Atualmente, atua na área de ciências planetárias, estudando ambientes planetários simulados e análogos terrestres, buscando uma melhor compreensão de como sistemas biológicos, químicos e geológicos se comportam em condições extremas. Faz uso intenso de técnicas analíticas e espectroscópicas para os estudos em laboratório, os quais complementa com trabalhos teóricos e pesquisas de campo.

Rualdo Menegat

IGEO/UFRGS

Professor IGEO/UFRGS nas áreas de estratigrafia, geoarqueologia e epistemologia da geologia, doutor em Ciências, Doutor Honoris Causa (UPAB, Peru), membro INHIGEO/IUGS/IUHPS, Vice-Presidente Científico da FLACAM/Cátedra Unesco-Unitwin para o desenvolvimento sustentável. Atua em pesquisas nos Andes Centrais (Peru e Bolivia), onde é Coordenador Científico do Torotoro Geoparque Andino. Colíder do projeto IGCP-UNESCO-IUGS, Geologia e Sociedade. Desenvolveu metodologia em geoeducação e meio ambiente por meio dos Laboratórios de Inteligência do Ambiente Urbano. Sua pesquisa sobre a construção intencional de Machu Picchu sobre falhas geológicas teve repercussões internacionais significativas.

Helenice Vital

UFRN

Helenice Vital possui graduação em Geologia pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte (1986), mestrado em Geologia e Geoquímica pela Universidade Federal do Pará (1988), doutorado (1996) e pós-doutorado (2006) em Geologia e Geofisica Marinha pela Christian Albrechts Universitat Zu Kiel, Alemanha e realizou Estágio Senior no Grupo de Sistemas Sedimentares e Petrolíferos da Curtin University of Technology de Perth, Austrália (2011). É professora Titular Livre em Geologia Marinha (2010) da Universidade Federal do Rio Grande do Norte, atuando tanto no ensino (graduação e pós-graduação) quanto na pesquisa (básica e aplicada), bolsista de produtividade em pesquisa – PQ do CNPq (1999 ao presente) e Lider da Base de Pesquisa em Ciências do Mar e Ambientais. Tem atuado como coordenadora ou pesquisadora de projetos de pesquisa nacionais e internacionais financiados por diversos agentes (CNPq, CAPES, DAAD, ANP, GTZ, FINEP, PETROBRAS, CPRM, MMA, etc), como revisora de periódicos nacionais e internacionais, e participado de comitês assessores nacionais (CAPES, CNPq, MCTi) e internacionais (NSF, DAAD). Coordenou o PRH-ANP 22 Programa de Formação em Recursos Humanos (Formação em Geologia, Geofísica e Informática para o Setor Petróleo e Gás na UFRN) da Agência Nacional do Petróleo desde a sua aprovação (1999) até a sua finalização (2018). Coordenadora de Projeto CAPES/IODP – Programa Internacional de Perfuração dos Oceanos. Tem experiência na área de Geociências e Oceanografia, com ênfase em Geologia e Geofísica Marinha, Geologia Costeira e Geologia Ambiental. Principais interesses em pesquisa são: Origem e evolução dos oceanos, sísmica de alta resolução, variações do nível do mar, dinâmica costeira, sedimentação marinha, erosão costeira, proveniência, desenvolvimento e história de preenchimento de vales incisos, monitoramento ambiental, Geohazards, Margem Equatorial Brasileira.

Fernando F. Alkmim

Depto de Geologia EM/UFOP

Graduado em Eng.Geológica pela Escola de Minas da Universidade Federal de Ouro Preto em 1978 e doutorado em Ciências Naturais pela Universidade Técnica de Clausthal, Alemanha, em 1985. Atualmente é pesquisador do CNPq e professor voluntário do Departamento de Geologia EM/UFOP. Dedica-se ao estudo da anatomia e evolução de sistemas orogênicos e bacias sedimentares.

Prof. Edison José Milani

UFRGS

Geólogo pela UFRGS (1977), Mestre em Geologia Estrutural (UFOP, 1985) e Doutor em Ciências – ênfase em Estratigrafia (UFRGS, 1997). Trabalhou na Petrobras entre 1978 e 2016, onde atuou na atividade exploratória e em projetos de P&D em Análise de Bacias, tendo também ocupado cargos gerenciais. Coordenou o Boletim de Geociências da Petrobras de 2003 a 2012. Em 2007, foi agraciado pela SBG com a Medalha de Ouro Orville Derby.

Daniel Galvão Carnier Fragoso

Petrobras

Geólogo da Petrobras desde 2010. Ao longo dos anos se dedicou a atividades voltadas para ensino e pesquisa em geociências. Atuou e coordenou projetos de caracterização, zoneamento estratigráfico e modelagem geológica de reservatórios em contextos continentais siliciclasticos da Bacia Potiguar, turbiditos da Bacia de Campos e lacustres carbonáticos da seção Pré-Sal das bacias de Santos e Campos. Atualmente compõe o corpo técnico da área treinamentos de geologia de reservatórios, ministrando cursos em aulas teóricas e práticas de campo voltadas para sedimentologia, estratigrafia de alta resolução e cicloestratigrafia.

Sérgio Luiz Fontes

Observatório Nacional

Sérgio Fontes  possui bacharelado em Física (1976), mestrado em Geologia (1982) ambos na Universidade Federal do Rio de Janeiro e doutorado em Geofísica – University of Edinburgh – Grã Bretanha (1988). Foi diretor do Observatório Nacional entre 2003 e 2013, onde ingressou em 1977 e atualmente é Pesquisador Titular. É coordenador da Rede Sismográfica Brasileira e correspondente nacional da “International Association of Geomagnetism and Aeronomy – IAGA”, coordenador de geofísica do Instituto Panamericano de Geografia e História – IPGH e Coordenador de Geociências da Faperj, a partir de 2018.  É um dos pesquisadores seniores do Instituto Nacional de Ciência e Tecnologia para Estudos Tectônicos (INCT-ET). Tem experiência na área de Geofísica, com ênfase em eletromagnetismo e integração de métodos geofísicos, atuando principalmente em geodinâmica e geofísica de exploração.

Adalene Moreira Silva

Instituto de Geociências da UnB

Engenheira Geóloga (1989) graduada pela Universidade Federal de Ouro Preto, Mestre (1992) e Doutora em Geologia (1999) pela Universidade de Brasília com um período de doutorado sanduiche na Colorado School of Mines e no Serviço Geológico Americano (1997-1999), Professora Visitante da Universidade de Brasília (2000-2002), Pesquisadora (05/2002-04/2003) e Professora do Instituto de Geociências da UNICAMP (04/2003-10/2005). Professora Colaboradora Voluntária do Instituto de Geociências da UNICAMP (11/2005-11/2009). É Professora do Instituto de Geociências da UnB (Quadro Permanente) e exerceu os cargos de Coordenadora do Programa de Pós-Graduação em Geologia (IG-UnB), de Diretora de Pós-Graduação e de Decana (Pró-reitora) de Pós-graduação. É membro do Comitê de Assessoramento de Geociências (CA-GC) do CNPq, do Conselho da Sociedade Brasileira de Geofísica (SBGf) e da Diretoria do Núcleo Brasília da Sociedade Brasileira de Geologia. Atua na área de Geociências, com ênfase em Geofísica Aplicada, com foco em novas abordagens de processamento, interpretação e análise espacial de dados multifonte aplicados a cartografia geológica e exploração mineral. Ela tem se dedicado ao estudo de footprint de depósitos minerais, especialmente a partir da aplicação de dados petrofísicos, espectrorradiométricos, geoquímicos e isotópicos dentro de uma perspectiva geológica integrada com dados geofísicos. É bolsista de produtividade 1C do CNPq.

Márcia Abrahão Moura

Reitora da UnB

Possui Graduação (1986), Mestrado (1993) e Doutorado em Geologia pela Universidade de Brasília, com período sanduíche na Université d’Orleans e BRGM (Orleáns, França). Fez Pós-Doutorado na Queen´s University, Canadá (2003-2004). É professora Titular da Universidade de Brasília. Tem experiência na área de granitos e mineralizações associadas, em depósitos do Brasil, Cuba, Peru e Colômbia. Atua principalmente nos seguintes temas: metalogenia, hidrotermalismo, inclusões fluidas, isótopos estáveis, petrologia e mineralogia. Possui também experiência em gestão universitária, com publicações na área. Foi sub-chefe do departamento de Mineralogia e Petrologia, coordenadora do curso de graduação em geologia da UnB, coordenadora de extensão e Vice-Diretora do Instituto de Geociências. Exerceu a função de Decana (Pro-Reitora) de Ensino de Graduação da UnB de abril/2008 a dezembro/2011 e de Diretora do Instituto de Geociências da UnB de fev/2014 a nov/2016. Reitora da UnB desde 24/11/2016.

Joana Guimarães Luz

Reitora da Universidade Federal do Sul da Bahia (UFSB)

Geóloga (UFRGS), Mestrado em Geoquímica e Meio Ambiente (UFBA), Ph.D. em Environmental Resources Engineering and Forestry (Cornell University). Tem experiência na área de Recursos Hídricos e Meio Ambiente, com ênfase em água subterrânea. É professora associada e ocupa o cargo de Reitora da Universidade Federal do Sul da Bahia (UFSB). Atualmente compõe a equipe da Diretoria Executiva da Associação Nacional dos Dirigentes das Instituições Federais de Ensino Superior – Andifes.

Lúcia Travassos da Rosa Costa

Serviço Geológico do Brasil

FORMAÇÃO
Doutora em Geociências (2006) na área de Geologia e Geoquímica pela Universidade Federal do Pará/UFPA, com estágio de doutoramento na Université de Montpellier II (França). Mestrado em (1995) e Graduação em Geologia (1991), pela Universidade Federal do Pará.

EXPERIÊNCIA PROFISSIONAL
Pesquisadora em Geociências do Serviço Geológico do Brasil – CPRM desde 1996.

No SGB-CPRM coordenou e participou de diversos projetos de mapeamento geológico na Amazônia, fundamentalmente no sul do Escudo das Guianas.

Ente 2012 e 2016 esteve à frente da Gerência de Geologia e Recursos Minerais da unidade de Belém, onde gerenciou a execução de projetos nas áreas de mapeamento geológico, avaliação de potencial mineral de províncias minerais do Pará e Amapá (Ex. Carajás, Tapajós, Gurupi e Reserva Nacional do Cobre e Associados), além de projetos de pesquisa de minerais estratégicos e materiais utilizados na construção civil.

Desde 2017 está à frente do Departamento de Geologia do SGB-CPRM, onde é responsável pelo planejamento e gestão dos levantamentos geológicos e geofísicos em todo território nacional.

Em 2018 foi eleita personalidade do ano pela Revista Brasil Mineral, em reconhecimento aos trabalhos realizados na Reserva Nacional do Cobre e Associados-RENCA.

Foi presidente do Núcleo Norte da Sociedade Brasileira de Geologia, no biênio 2007-2009, e em 2010 foi Presidente da Comissão Organizadora do 45° Congresso Brasileiro de Geologia.

Atua em projetos de pesquisa fomentados pela CAPES e CNPq, desenvolvidos no Instituto de Geociências da Universidade Federal do Pará. Regularmente orienta Trabalhos de Conclusão de Curso de Graduação em Geologia e co-orienta pesquisas em nível de Mestrado e Doutorado na UFPA.

Tem atuado como revisora de artigos científicos submetidos aos periódicos Journal of South American Earth Sciences, Journal of the Geological Survey of Brazil, Boletim do Museu Paraense Emílio Goeldi, Revista Brasileira de Geofísica, e a edições do Livro Contribuições à Geologia da Amazônia. Atua como membro de banca examinadora de pesquisas em nível de doutorado, mestrado e Trabalhos de Conclusão de Graduação em Geologia.

Sua produção científica principal envolve, além de uma série de mapas e relatórios técnicos referentes a projetos do SGB-CPRM, artigos completos publicados em periódicos internacionais (Gondwana Research, Journal of South American Earth Sciences, Scientific American, Gèologie de La France, International Geological Review) e nacionais (Revista Brasileira de Geociências, Anais da Academia Brasileira de Ciências, Revista de Geologia USP, Livro Contribuições à Geologia da Amazônia, Livro Metalogênese das Províncias Tectônicas Brasileiras), resumos publicados em eventos técnico-científicos nacionais e internacionais, além da edição dos volumes III e V do Livro Contribuições à Geologia da Amazônia.

Gema Olivo

Queen´s University

Professora Gema Ribeiro Olivo formou-se na Universidade de Brasília em Geologia e Mestrado em Geologia Econômica, e completou o PhD na Université de Quèbec à Montréal, com pós-doutorado em pesquisa na McGill University. Tem mais de 30 anos de experiência com vários projetos de exploração mineral e pesquisa acadêmica para várias comodities no Brasil, Chile, Peru, Mexico, USA, Canada. É professora catedrática de Geologia Econômica na Queen’s University, orientando mais de 60 estudantes da pós-graduacão desde 1999, com resultados publicados nos principais jornais internacionais da área.
Professor Gema Ribeiro Olivo graduated from B.Sc and M.Sc. in Geology and Economic Geology, respectively, from Universidade de Brasília, with Ph.D from Université de Quèbec à Montréal and post-doctoral fellowship from McGill University. She has more than 30 years of experience working in academic research and exploration projects in Brazil, Chile, Peru, Mexico, USA and Canada among others. She is full professor in Economic Geology at Queen’s University, and has supervised more than 60 graduate estudantes since 1999, with research results published in major international journals.

Lila Costa Queiroz

ABMGEO (Associação Brasileira de Mulheres em Geociências)

Geóloga graduada pela Universidade Federal da Bahia – UFBA (2012) e mestra pela Universidade de Brasília – UnB (2019). Desde 2014 trabalha para o Serviço Geológico do Brasil (CPRM), atualmente atuando na Divisão de Geologia Econômica, onde desenvolve pesquisas voltadas para novas tecnologias aplicadas à exploração mineral.

Silvandira dos Santos Góes Pereira de Jesus

Omya do Brasil

Geóloga de exploração pela Universidade Federal da Bahia (2011), mestrado em Recursos Minerais pela Universidade de São Paulo (2016) e co-fundadora do Grupo Yangì, uma iniciativa que visa empoderar e conectar profissionais e estudantes negros das Geociências.
A área de interesse principal é Geologia Básica e Exploração Mineral, com experiência em prospecção geológica, geoquímica e geofísica de commodities como Cobre, Ferro, Ouro.
Atualmente, desempenha atividades no setor de Rochas e Minerais Industriais, com foco na extração de Carbonato de Cálcio e Feldspato para aplicações industriais.

Henrique Bruno

Tektos - Grupo de Pesquisa em Geotectônica

Pós-Doutorado em andamento na Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ) no projeto: Reconstituindo o Orógeno Riaciano desmembrado na Faixa Ribeira Central. Durante o doutorado, obteve 1 ano de experiência como pesquisador visitante na University of Portsmouth (UK). O tema principal de pesquisa dos últimos anos inclui abordagem multidisciplinar no estudo tectônico dos complexos Paleoproterozoicos do sul do Cráton de São Francisco.

Fresia Ricardi-Branco

UNICAMP

Graduação em Geografia – Facultad de Ciencias Forestales, Escuela de Geográfia (1988), mestrado em Geociências (Geologia Sedimentar) pela Universidade de São Paulo (1994), doutorado em Geociências (Geologia Sedimentar) pela Universidade de São Paulo (1998), pós-doutorado no Laboratório de Geofísica Aplicada, I. Geociências, Universidade de Brasília (2008) e Livre Docência em 2013. Atualmente é professor associado do Instituto de Geociências, Universidade Estadual de Campinas. Tem experiência na área de Geociências, desenvolve pesquisas em Tafonomia de vegetais, floras fanerozoicas da América do Sul, novas metodologias para análises paleontológicas e bioclastos associados a carbonatos.

Celso Dal Ré Carneiro

Instituto de Geociências USP / Unicamp

Geólogo (1972), mestre (1977) e doutor (1984) pelo Instituto de Geociências USP e Livre Docente pela Unicamp (2010). Recebeu os prêmios da SBG Martelo de Prata (1982) e Medalha de Ouro Henry Gorceix (2008). É Membro Associado da Academia Brasileira de Ciências (1995). Foi professor do IG-USP e pesquisador do Instituto de Pesquisas Tecnológicas (IPT). No Instituto de Geociências da Unicamp, é Professor Permanente do PPG em Ensino e História de Ciências da Terra, que coordenou entre 2013-2017.

Prof. Dr. Marco Antonio Braga

UFRJ

Marco Braga é Geologo pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (2000), Mestrado em Geologia com ênfase em Geofísica Aplicada pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (2006), pesquisador visitante do Departamento de Geofísica da Colorado School of Mines, Golden, CO (EUA) de 2008 a 2009, Doutorado sanduiche em Geologia com ênfase em Geofísica Aplicada a exploração pela Universidade Federal do Rio de Janeiro/ Colorado School of Mines (2009), MBA em Gerenciamento de Projetos pela Fundação Getúlio Vargas / Ohio University (2012), Pós-Doutorado na Universidade Federal de Ouro Preto (2014).Trabalhou por 14 anos na mineradora VALE SA onde foi Gerente de Geotecnia, Hidrogeologia e Fechamento de Mina de Ferrosos e Gerente de Exploração Mineral de Minério e Ferro e Manganês, foi responsável pelas áreas de Minério de Ferro e Manganês em Carajás, Corumbá e Minas Gerais até fevereiro de 2016. Atualmente é professor de Geofísica Aplicada no Instituto de Geociências da UFRJ e o Pesquisador responsável pelo Centro de Pesquisa em Geofísica Aplicada (CPGA). 

Instituto de Geociências (IG)

O Instituto de Geociências (IG) ocupa área de mais de 6.550 m2 no prédio do Instituto Central de Ciências (ICC), mais conhecido como Minhocão por sua forma longilínea. O IG possui ainda dois prédios próprios, onde estão instalados o Observatório Sismológico e o Laboratório de Geocronologia, com área adicional de 2.500 m2. No ICC funcionam a Direção e Secretaria, salas de aula, laboratórios, salas individuais de professores, salas para alunos de pós-graduação, o Museu de Geociências, os Centros Acadêmicos de Geologia Jorge Gushiken (CAGEO) e de Geofísica (CAGEF) e o Grupo Espeleológico da Geologia (GREGEO).

O Instituto de Geociências da UnB conta com laboratórios em todas as subáreas das Geociências, aos quais os estudantes têm amplo acesso. Quase todos os laboratórios possuem equipamentos de última geração, a fim de atenderem adequadamente às atividades de ensino e pesquisa desenvolvidas no âmbito do Instituto, bem como ao intercâmbio com outras universidades, instituições de pesquisa e empresas do País e do exterior. Encontram-se em pleno funcionamento os laboratórios de laminação, preparação de amostras, separação de minerais pesados, computação, microscopia, inclusões fluidas, difratometria de raios X, microssonda eletrônica, geoquímica, isótopos estáveis, geocronologia, micropaleontologia, microscopia eletrônica de varredura, sensoriamento remoto e análise espacial, geofísica aplicada, laboratórios do Observatório Sismológico e de estudos da litosfera.

O Laboratório de Geocronologia possui excelente estrutura para análises geocronológicas e de geoquímica isotópica, que têm sido realizadas para a comunidade científica nacional e internacional, além de empresas públicas e privadas.

O Museu de Geociências é um dos principais museus da UnB. Possui acervo expressivo e diversificado, que atende à visitação diária da comunidade da UnB, de grupos de estudantes do ensino fundamental e médio e da sociedade em geral.

O Observatório Sismológico (SIS) é um Centro do Instituto de Geociências (IG) da Universidade de Brasília (UnB). Suas responsabilidades envolvem o ensino (níveis de graduação e pós-graduação), a Extensão e a Pesquisa relacionada à sismicidade e à estrutura do interior da Terra. Sua principal atividade é o monitoramento sismográfico da sismicidade brasileira, natural e induzida por reservatórios.

Veículos apropriados para trabalhos de campo estão à disposição dos estudantes e professores.